Alimentação Saudável

Já é bastante sabido que os hábitos alimentares saudáveis estão diretamente relacionados a uma qualidade de vida fundamental ao ser humano. Em contraponto, a Federação Mundial da Obesidade (IASO, na sigla em inglês), aponta que mais de 42 milhões de crianças menores de cinco anos estão acima do peso no mundo, das quais 35 milhões estão em países em desenvolvimento e 92 milhões correm risco de sobrepeso e obesidade.*

Bons hábitos vêm de casa! É o que diz o ditado popular. No entanto, cada vez mais escolas têm lançado mão de excelentes projetos para cuidar com responsabilidade da qualidade alimentar das crianças. Pensando nisso, a Escola Bilboquê, há mais de 20 anos, conta com um setor de nutrição que além de propor um cardápio balanceado constituído por alimentos saudáveis e grupos diversificados, implantou o Programa de Alimentação Nutricional em seu Projeto Político Pedagógico.

Ensinar a criança a gostar de alimentos saudáveis depende de pequenas atitudes que podem ser feitas em casa pelos pais e com o auxílio da escola. Descobrir novas formas de apresentar os alimentos é um dos caminhos para que a criança desenvolva bons hábitos à mesa.

DICAS DE COMO INCENTIVAR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL EM CASA:

Refeições em conjunto: prepare as refeições de maneira que possam ser saboreadas por toda a família, para que todos possam participar desse momento;

Porções: sirva os alimentos em porções controladas em vez de colocar em travessas, para evitar o consumo de grandes quantidades e a repetição dos pratos. Usem pratos pequenos;

Controle: não deixe alimentos calóricos acessíveis. Enfatize o que a criança pode comer, ao invés de reforçar o que ela não pode;

Elogie: qualquer progresso que a criança estiver fazendo;

Evite: alimentos ricos em gordura, açúcar e sódio;

Não brigue: não critique a criança durante as refeições para que ela não desconte as frustrações no prato de comida. Se ela se acostumar a comer demais, por outras razões que não a fome, provavelmente continuará a fazer isso pelo resto da vida;

Disponibilidade: mantenha próximo das crianças alimentos saudáveis, como as frutas, para que elas possam comer à vontade. Tente apresentar diferentes sabores, aromas e cores. Para as crianças pequenas, vale deixar pedaços pequenos, como tiras de cenoura, por exemplo, para ela pegar, manusear, perceber a textura e experimentar;

Preparo: procure envolver a criança tanto na escolha dos produtos quanto no preparo dos alimentos;

Não substitua alimentos: as refeições não devem ser substituídas. Se a criança não almoçar, deve-se oferecer novamente mais tarde a mesma refeição e, se ainda assim rejeitar, deve-se esperar a próxima refeição;

Dê o exemplo: Nada melhor que o exemplo dos pais para transmitir bons hábitos alimentares. Que tal rever a sua maneira de alimentar?

Apenas ter os alimentos  à disposição em casa não vai resolver a questão. A família tem que acreditar que cuidados, incentivo e diálogo são fundamentais nesse processo. Para se acostumar a determinado alimento, a criança, na primeira fase da infância, deve prová-lo de oito a vinte vezes. Dá trabalho! Lembre-se que a construção de hábitos saudáveis é um exercício contínuo e, como todo e qualquer processo educacional, exige carinho, atenção e paciência.

 

Texto produzido em parceria por Ana Luiza Santos Vieira, nutricionista da Bilboquê e setor de comunicação.

*http://www.obesidadeinfantilnao.com.br/publicacoes/obesidade-infantil/obesidade-epidemia-crescente-e-fora-de-controle/