Pular para o conteúdo

Nas Nuvens

Céu de brigadeiro, todos os passageiros se acomodaram conforme manda o figurino. Acredito que dentro da cabine do comandante estava tudo certo, nada de atraso.

Nesta época de temporada, crianças e famílias  ficam eufóricas para passarem momentos de convivência sem muitas regras, se é que elas existem mesmo! Quando o avião estava preparando para decolar, eis que um menino começa a gritar. Estava enfurecido, “amarrado”, segundo ele. E gritava: _Tó preso ! Tô preso! O pai do menino falava com voz dócil: _ Fulano, não grite! O menino passou a viagem levantando, chorando , falando alto, virando para trás para tentar acordar uma doçura de menina que estava ao meu lado, no colo da mãe.

O pai olhava para mim, sem jeito, claro, mas não dei conta de sorrir para ele. Pensei… vou escrever  uma crônica. Será que uma leitura pode ajudar os pais a terem um “clic”durante uma viagem e perceberem que no coletivo, querendo ou não, temos que determinar regras???

Como educadora, ultimamente eu estou assustada com uma questão que se chama limite.

Nas nuvens – Quem sabe uma cartilha ou dicas ajudariam?

Ao viajar, lembrei–me de  que há pessoas que não gostam de gritos e muito menos de ver inoperância dos pais em relação aos queridos filhos.  Educar é também conversar sobre como se portar em viagens. Avião ou ônibus não são locais em que se pode gritar, muito menos pular nas cadeiras. Se seu filho é agitado, procure levar um jogo para distraí-lo; um livrinho também ajuda demais. Ofereça água ou um biscoito. Lembre–se de levá-lo ao banheiro antes do embarque.

Combine como se deve comportar quando estamos em ambientes fechados. Falar a verdade, com carinho, mas  ser enérgico se necessário e mostrar para seus filhos o valor da paternidade e das relações. Saibam falar não e sejam firmes. Isso se chama educação. Procure agiragora para não se envergonhar no futuro.

Quando são pequenos, até entendemos o que é birra, mas, quando crescerem, isso se chamará, desrespeito, chatura mesmo. Crianças tiranas estressam os pais e, como consequência, os filhos tenderão a caminhar por vias que não serão as melhores para eles e nem para vocês. Será tarde demais!

 

Maria Claret Lamounier Elias

Diretora pedagógica da Escola Bilboquê

 

Siga-nos no Facebook e Instagram para mais novidades.

Aproveite e leia nosso conteúdo sobre “Atividades sensoriais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *