Nosso Blog

Publicado por

Maria Clara

Brincadeira levada à sério

Brincar é fundamental. E não só porque é uma atividade divertida, criativa e cheia de emoções. Brincar é importante para a saúde mental, emocional e relacional da criança.

Inúmeros estudos nas áreas da psicologia, psicomotricidade e neurociências comprovam que a criança que brinca consegue interagir melhor com os colegas, com os ambientes e com os espaços. É à partir da brincadeira que ela compreende melhor o mundo a ser descoberto.

O papel do professor nestas atividades é fundamental para os processos educacionais. A ação de manusear, pensar, repensar, criar, recriar, construir e desmanchar impulsiona as aprendizagens, promove conhecimentos, amplia as competências, explorando as habilidades infantis. O espaço livre e a utilização dele ao subir, descer, correr, pular, jogar e competir faz com que, de forma gradativa, a criança vença os desafios e as etapas de seu crescimento.

Todas as propostas de brincar, sejam elas livres ou não, são experiências únicas para a criança. Brincadeiras coletivas, jogos, danças e rodas infantis desenvolvem ritmo, coordenação motora, expressão corporal e facial, além da imaginação e percepção infantil. Elas aprendem a dar e receber comandos e a esperar a sua vez. Tudo isso favorece o equilíbrio das emoções e das relações infantis, estruturando o seu mundo de maneira mais saudável.

Por meio das histórias de super-heróis, fadas, animais e outros personagens, a criança dá vida ao contexto como se fosse realidade. Isso permite a interação com a fantasia, facilitando a exposição e elaboração dos sentimentos. De forma espontânea, ela aprende a lidar com suas emoções, sem traumas.

O convívio com outras crianças, desde cedo, somado ao contato com os brinquedos e as brincadeiras, são grandes aliados na construção de conhecimentos. Tendo como base uma relação de afeto e de trocas, com espaços físicos amplos para que que elas aconteçam, aqui, a infância tem seu lugar!

Maria Helena Dani
Assessora pedagógica