Nosso Blog

experiências culturais

Publicado por

Maria Clara

Experiências culturais como contexto de aprendizagem

Cultura é tudo aquilo que se aprende ao longo da vida, por meio da convivência e em determinado grupo social.  É um patrimônio que envolve padrões de comportamentos e, se vivemos em sociedade, aprendemos o que as gerações transmitem ao longo do tempo. Mas conforme as gerações, os estudos e as sociedades mudam, as culturas também se modificam. Para introduzir as experiências culturais no contexto escolar, portanto, precisamos entender que cada tipo de sociedade cria seu próprio patrimônio cultural, o qual abrange hábitos, crenças religiosas, línguas, conhecimentos e valores.

Hoje, vivemos em um mundo globalizado, constituído por vários tipos de manifestações culturais, sejam elas populares, materiais, corporais, estáticas, étnicas, históricas, artísticas, musicais, brincadeiras infantis etc. A família, a escola, a Igreja, a comunidade, a sociedade e a mídia exercem grande influência sobre as pessoas, o que torna a cultura plural e diversificada. Além disso, os meios de comunicação – televisão, rádio, mídias sociais – ampliam esses conhecimentos, criando conexões de aprendizagem do estilo de vida em todas as partes do mundo.

A família é a base para dar continuidade aos valores que serão transmitidos, mas cabe à escola um destaque acadêmico em gerar a cultura do conhecimento, da aprendizagem e de relacionamentos, pois é na escola que se amplia a convivência entre os pares.

A escola tem o papel e a responsabilidade de transformar as experiências cultuais em objeto de reflexão, criatividade e vivências. Valorizar essas experiências é expandir para além dos muros escolares o que aprendemos em casa, no bairro, na comunidade, em nossa cidade e em nosso país.

O envolvimento do aluno, dos professores e dos pais possibilita ampliar e valorizar a cultura do cinema, do teatro, da dança, da música, da literatura e das brincadeiras. Dessa forma, oferecemos contato com a história musical e com ambientes adequados e bem equipados como museus, teatros e bibliotecas, para que a criança vivencie e respeite a sua própria história.

Nos dias de hoje, programar um calendário festivo, com datas comemorativas, é destituir a criança do caráter real da aprendizagem. Então, como abraçar a cultura escolar, respeitando nosso patrimônio cultural?

  • Pesquisar;
  • Ler para dialogar reflexivamente;
  • Questionar, argumentar para novas mudanças;
  • Repensar comportamentos respeitando a vida cultural de um grupo;
  • Entender as culturas regionais e colocar-se no lugar do outro;
  • Ampliar o conhecimento para expandir, transformar e reinventar as culturas de base;
  • Quebrar padrões com respeito, resgatando conhecimentos e engajando a sociedade, incluindo os alunos, na difusão de cultura que transforma, que resgata, que agrega e humaniza o ser humano e sociedade afins.

Para que a cultura seja disseminada e tenha voz, os educadores precisam repensar como contextualizá-la dentro das escolas. É preciso ressignificar as experiências culturais, conduzindo os eventos em estruturas funcionais de caráter reflexivo e respeitoso. A cultura é um patrimônio nosso. E este patrimônio precisa fazer parte da rotina escolar.

Maria Claret Lamounier Elias
Diretora pedagógica