Nosso Blog

Diálogo na aprendizagem

Publicado por

Maria Clara

O espaço de diálogo e os facilitadores de comunicação

Dentre as primeiras necessidades na construção de uma sociedade, certamente podemos destacar o diálogo. É por meio dele que é possível formar sujeitos críticos, autônomos e criativos, e que criamos relacionamentos saudáveis.

A necessidade da comunicação interpessoal passa pelo processo da escuta e do entendimento do outro em suas interpretações e sua visão de mundo. Cada sujeito tem em si um universo próprio e rico de conhecimentos e perspectivas. O respeito é a pedra fundamental que alicerça todos esses relacionamentos.

Para dialogar é necessário saber ouvir antes de aprender a falar. Escutar exige proximidade, disponibilidade e humildade de aprender com o outro e com nossas diferenças.

Na educação, não é diferente. O diálogo é a base primordial de qualquer processo de ensino-aprendizagem. Mas, se a escola é um espaço de diálogo, quem são os facilitadores da comunicação?

É somente através dos processos educativos que a criança se desenvolve e que são estabelecidas múltiplas linguagens dialógicas na relação entre professor e aluno. Sendo assim, o professor deve abandonar a ideia de ser aquele que apenas transfere conhecimento e, sim, colocar a criança como coautor da sua aprendizagem. É nessa integração que possibilitamos à criança maior pertencimento e engajamento na escola.

Devemos considerar o diálogo como um ato criativo, capaz de acolher e de desenvolver a imaginação e a capacidade argumentativa. A primeira infância é um período repleto de grandes descobertas. Por meio dessas vivências proporcionadas no dia a dia, as crianças, constantemente, expõem suas perspectivas e se comunicam, interpretam e desvendam o mundo que estão experimentando.

Cabe a nós, educadores, estarmos atentos e vigilantes para que a escola seja um espaço de diálogo constante e o professor seja um facilitador da comunicação e expressão de cada um dos seus alunos.

Larissa Assis
Psicóloga Bilboquê Vila da Serra