Nosso Blog

A consciência fonológica na Educação Infantil

Publicado por

Maria Clara

A consciência fonológica na Educação Infantil

Desde o nascimento, a criança já é inserida no mundo letrado. À medida que cresce e vai para a escola, isso fica ainda mais presente no seu cotidiano e nas relações que se ampliam. A fala e a escrita ganham um sentido mais amplo e passam a ser a forma pela qual ela expressa seus sentimentos e comunica suas emoções, ideias e opiniões. À princípio, a criança usa garatujas ou letras aleatórias para registrar uma palavra, mas, à medida que avança em suas hipóteses, o sujeito entende que a escrita é a transcrição do pensamento e da fala. Isso é um importante passo para se alcançar a consciência fonológica na Educação Infantil.

No processo de alfabetização, analisam-se as palavras em seus componentes (letras e formas), regras de correspondência entre letras e sons. Por sua vez, o processamento fonológico baseia-se no processamento de informação da fala, ou seja, na estrutura fonológica da linguagem oral.

Como iniciar, então, a alfabetização e facilitar a relação fonema/grafema? Deve-se estimular a consciência fonológica, desenvolvendo a habilidade de refletir, identificar e manipular sons da língua, percebendo os componentes da fala (fonemas, sílabas, palavras e frases). Chegar ao som isolado da letra é essencial para a alfabetização, uma vez que estamos inseridos em um país cuja linguagem é de base alfabética. As crianças precisam brincar de ouvir, observar, manipular letras, tocar e sentir sílabas e palavras, ou seja, vivenciar um processo multissensorial (percepção de sons verbais e não verbais e percepção visual, tátil e fonoarticulatória).

A realização de atividades que promovam a consciência fonológica (diferenciação entre significados e significantes e atenção aos aspectos sonoros) facilitará a compreensão da relação entre linguagem oral e escrita e a consequente aquisição desta. O desafio é encontrar estratégias que possam ser utilizadas em sala de aula para auxiliar as crianças a notarem os fonemas.

Destacamos que o professor alfabetizador tem papel importante como mediador no processo de construção de conhecimento, principalmente quanto à aprendizagem da leitura e da escrita. De um modo geral, a consciência fonológica consiste na habilidade do professor de analisar e realizar justificativas sobre as características sonoras da língua, avaliando tamanho, semelhanças e diferenças entre as palavras, propondo experiências alfabéticas de segmentação e manipulação de fonemas, sílabas e rimas.

Os jogos com rimas são uma excelente iniciação à criação dessa consciência, por direcionar a atenção das crianças às semelhanças e diferenças entre sons das palavras.

É essencial estimular a consciência fonológica de forma lúdica para despertá-la em nossos alunos.  

Sarah Moreira Figueiredo Dabés
Professora do 1º período na Escola Bilboquê