Nosso Blog

Publicado por

Maria Clara

Acolhimento e adaptação – De volta à escola (Parte II)

A adaptação escolar normalmente é entendida como um processo de transição em que a criança realiza um esforço para se habituar a um novo ambiente, a uma nova rotina e ao convívio com pessoas diferentes dos familiares que tem como referência. Entre os diversos desafios que a criança enfrenta nesse contexto, destacamos a construção das relações e o estabelecimento de novas regras e limites que fazem parte da instituição e que são distintos do espaço de casa. Nesse sentido, torna-se essencial promover a criação de novos vínculos e, para isso, é fundamental o modo como a criança é acolhida pela escola.

Acolher as crianças com alegria é uma marca da Escola Bilboquê.  Escutá-las é o nosso diferencial, o que requer atenção, cuidado e muito afeto. Entendemos que a adaptação ao novo espaço coletivo somente se efetiva por meio do acolhimento, do bem-estar físico e emocional. A escola tem, nesse processo, a responsabilidade de amparar crianças e famílias e de estabelecer pontes seguras entre as crianças e esse “novo mundo” que se abre para elas.

Além da adaptação que acontece normalmente no início de todo ano letivo, em 2021 temos um novo cenário para esse processo, uma vez que, devido à suspensão das aulas presenciais em 2020, será necessário considerar que muitas crianças necessitarão de um apoio maior para se adaptarem novamente à escola nesse retorno. Devemos considerar que, por toda a apreensão dos familiares em relação ao coronavírus e precauções tomadas (o que certamente foi percebido pela criança), poderá ser difícil para ela se distanciar do ambiente seguro de casa, mesmo já tendo conhecido e interagido com o ambiente escolar anteriormente.

De um modo ou de outro, independentemente de ser um processo de adaptação ou readaptação ao espaço escolar, as crianças podem se sentir inseguras pelo fato de que toda mudança gera medos, ansiedades e irritação para elas.  Assim, vale aqui destacar que as famílias têm papel fundamental nesse processo, sendo imprescindível o alinhamento das ações de casa com as da escola, com o objetivo de ajudar as crianças na superação desse momento de transição para o início/retorno escolar.

Listamos algumas dicas que irão auxiliar a família e a escola nesse desafio de início/reinício das atividades escolares presenciais.

  1. Converse com a criança sobre a escola, preparando-a para a nova rotina que se (re)iniciará. Nesse momento, vale reforçar os aspectos positivos do ambiente escolar como o espaço de fazer/rever amigos. Aproveite para estabelecer também um diálogo com seu (sua) filho (a), valorizando os sentimentos que vocês perceberem, demonstrando empatia e compreensão;
  2. Evite deixar transparecer suas preocupações em relação ao coronavírus, pois a escola seguirá um protocolo sanitário e se preparou de modo a tomar todos os cuidados para preservar a segurança e a saúde das crianças e de toda a comunidade escolar;
  3. No momento de entrada, demonstre para a criança sua confiança na escola e nos funcionários que farão a acolhida. Essa atitude da família transmitirá a ela afeto, transparência, tranquilidade e segurança;
  4. A equipe Bilboquê estará atenta a todas as demandas e acolherá as crianças e seus familiares por meio de muitas conversas com os setores de coordenação e de psicologia. Lembre-se:  família, criança e escola compartilham o processo de adaptação e o acolhimento é recíproco!

Mais uma vez, reforçamos a importância da parceria família-escola em todos os processos escolares. A Bilboquê manterá um diálogo constante com os familiares, informando-os acerca de todas as ações desenvolvidas para o retorno às aulas presenciais, incluindo as possíveis adaptações no planejamento anual para 2021.

Este é o nosso compromisso.

Coordenadora Pedagógica Buritis – Elisana Cardoso