Nosso Blog

Desfralde na educação infantil

Publicado por

Maria Clara Lauar

Qual o momento certo para o desfralde na educação infantil?

Os primeiros anos de vida de uma criança vêm acompanhados de diversas etapas significativas em seu desenvolvimento. É na primeira infância que a criança precisa de um ambiente acolhedor, cheio de estímulos para que ela possa desenvolver habilidades essenciais para a vida. Por isso, é esperado que muitos desafios também acompanhem esse momento. O desfralde na educação infantil é um tema falado com muita frequência entre educadores e pais, pois essa etapa acaba trazendo muitas dúvidas e inseguranças aos familiares, especialmente quando a criança já está na escola.

Diante disso, algumas dicas podem ajudar a passar por esse desafio com mais tranquilidade. Confira:

Desfralde: quando devo começar?

Qual o momento certo para o desfralde na educação infantil? Essa dúvida aflige a maioria dos pais. Com inúmeras teorias e informações diferentes, muitas famílias acabam ficando confusas em relação ao início. Nesse momento, é preciso ter muita atenção, porque a ansiedade, as comparações e a insegurança podem acabar levando a uma ação precipitada.

Primeiro, é importante observar a criança e ter paciência para respeitar e entender os sinais que ela apresenta. Só assim você poderá saber se ela está realmente pronta. Sendo assim, é comum que o desfralde na educação infantil aconteça entre os 2 e 3 anos de idade – mas isso não é uma regra.

O que devo observar para saber se meu filho está pronto?

Não existe um momento certo para o desfralde, pois não somos nós, educadores ou pais, que decidimos que está na hora. Uma criança demonstra que está pronta para o desfralde quando ela atinge alguns níveis de desenvolvimento essenciais para o processo. Por isso, alguns fatores devem ser observados:

Desenvolvimento motor e fisiológico

O que devo observar para saber se meu filho o desfralde na educação infantil.

A criança precisa que as habilidades motoras, como: caminhar, correr, abaixar, levantar, agachar e manusear a própria roupa, estejam bem desenvolvidas. Além disso, é importante observar se há um controle dos esfíncteres, ou seja, se a fralda fica seca em intervalos de tempo maiores.

Desenvolvimento Cognitivo

Observe se a criança apresenta habilidades de imitação, compreensão de comandos e capacidade de comunicação. O desenvolvimento cognitivo é fundamental para o processo.

Desenvolvimento Emocional

Observe, também, se a criança já apresenta interesse e curiosidade pelos hábitos de eliminação dos pais ou irmãos; se sente incômodo quando está suja ou molhada; se já consegue se sentar ao vaso com tranquilidade sem sair o tempo todo.

Depois de analisar o desenvolvimento de todos os fatores necessários para o desfralde, a família deve comunicar a escola e ambas devem proporcionar um ambiente agradável, seguro e que possibilite a autonomia da criança. E o contrário também pode acontecer: se a escola perceber sinais de interesse e de amadurecimento, a família deve ser comunicada para que, juntas, possam trabalhar em parceria.

Proporcionar um ambiente ideal envolve: permitir fácil acesso ao banheiro; colocar redutores no assento do vaso, caso necessário, ou utilizar um apoio sob os pés da criança; colocar roupas leves e fáceis de manusear ou fraldas de vestir que possam ser retiradas pela própria criança; manter a calma e paciência; nunca chamar a atenção da criança caso aconteça algum escape e incentivá-la (sem exageros ou recompensas materiais), sempre que observar uma conquista.

Dessa forma, o desfralde na educação infantil deve acontecer de forma leve e saudável. O mais importante nesse processo é que escola e família criem uma relação de diálogo aberto e transparente, oferecendo todos os recursos para que a transição aconteça de forma natural. O momento certo, portanto, será sempre quando a criança estiver preparada.

Larissa Assis
Coordenadora do setor de Psicologia
Escola Bilboquê

Enviar
1
Precisa de Ajuda?
Olá, quero solicitar mais informações sobre o processo de Matrícula da Escola Bilboquê.