Nosso Blog

drive nas escolas

Publicado por

Maria Clara

O drive nas escolas: uma solução de mobilidade urbana

Em outubro, o governo de Minas Gerais autorizou a volta de 100% dos alunos às aulas presenciais. Isso significa que muitas escolas começam a vislumbrar o retorno à tão sonhada normalidade. O cumprimento de rigorosos protocolos, agora, acompanha salas repletas de alunos, corredores cheios de sons, cheiros, vida. Mas, do lado de fora, o vertiginoso volume de carros também acompanha o movimento. Há algum tempo, o trânsito no entorno das instituições de ensino se transformou em um grande desafio de mobilidade urbana. Para solucionar esse problema surgiu, então, o drive nas escolas.

Acostumados ao termo importado das redes de fast food, das filas de vacinação e do vocabulário estrangeiro, o drive tem a funcionalidade de embarque e desembarque de crianças, sem que as famílias necessitem estacionar no local, muito menos descer do carro. Na Bilboquê, uma das primeiras instituições de Minas Gerais a instaurar o serviço ainda na década de 90, a função conta com o apoio das estagiárias. Cada veículo possui um adesivo que indica a cor do ecossistema do aluno. Assim, mediante os protocolos sanitários de prevenção ao COVID-19, as profissionais só mantêm contato com as respectivas crianças de sua bolha.

No momento da saída dos alunos, cada escola tem sua metodologia. De acordo com o Portal Escola em Movimento, no ensino infantil, existem dois tipos de saída:

  • Saída controlada a partir de sala da aula – O aluno permanece na sala até a chegada dos responsáveis. Os pais não podem ter acesso ao interior da escola, logo, os alunos são levados até a portaria.
  • Saída controlada a partir do pátio – O aluno permanece no pátio da escola com uma equipe de colaboradores. Os pais, nestes casos, podem ou não ter acesso ao interior da escola.

Na maioria dos casos, o fato dos pais pararem em fila dupla é o que causa o congestionamento. Por isso, otimizar tempo é sempre a melhor opção. Com as crianças já dispostas na portaria, segmentadas por turmas e ecossistemas, o trajeto até o veículo se torna muito menor.

O drive nas escolas foi uma solução providencial para melhorar a mobilidade urbana local, mas outras opções passam a integrar o quadro de estratégias adotadas pelas instituições para contribuir com o escoamento do trânsito. E a tecnologia é uma grande aliada neste processo. O “Estou Chegando”, por exemplo, é uma funcionalidade que ajuda a escola a monitorar a distância dos veículos das famílias, liberar os estudantes no horário estabelecido e otimizar o tempo de pais e colaboradores.

Por isso, é fundamental que o olhar institucional esteja voltado não só para os alunos, para as atividades pedagógicas e para as sequências didáticas, mas também para as necessidades das famílias, do entorno e da comunidade. Promover a inovação envolve articular soluções criativas com responsabilidades sociais – e o trânsito é uma delas.

Maria Clara Lauar
Assessora de Comunicação
Escola Bilboquê

Enviar
1
Precisa de Ajuda?
Olá, quero solicitar mais informações sobre o processo de Matrícula da Escola Bilboquê.