Nosso Blog

Empatia na educação infantil

Publicado por

Maria Clara

O verdadeiro significado da empatia na educação infantil

A empatia ganhou bastante destaque nos tempos atuais. Certamente você já ouviu a frase “é preciso ter empatia pelo outro”. Mas, afinal, o que é empatia e qual a importância de fomentarmos uma educação para a empatia? Como aplicar a empatia na educação?

Sabe quando você assiste a uma notícia na televisão e se emociona, seu coração aperta ou fica quentinho? Ou quando vê uma pessoa com dificuldades para carregar as compras, subir uma escada ou atravessar a rua e você vai ajudá-la? Ou ainda, quando diante de uma situação de conflito você consegue ter uma ideia que possa colaborar para a resolução?

Essa capacidade psicológica de compreender os problemas sobre várias perspectivas e vivenciar sentimentos e emoções a partir do entendimento do que sente por outra pessoa é o que chamamos de empatia. É quando nos colocamos no lugar do outro para entender a dimensão da sua dor, conquista, dificuldade ou alegria e também quando nos movemos para colaborar na resolução de problemas, articulando nossas ideias e ouvindo as ideias dos outros.

As crianças aprendem sobre empatia quando ensinamos a elas a identificar seus sentimentos, expressar suas ideias e também a reconhecer e ouvir as ideias e os sentimentos dos colegas. Em período de adaptação escolar, não é incomum ver uma criança consolando outra que chora querendo a mãe: “a mamãe volta”, elas dizem umas às outras.

O educador ensina sobre empatia quando descreve aos alunos as situações, os sentimentos envolvidos e os incentivam a ajudar o colega: “Turminha, hoje vamos caçar dinossauros, mas a Lara está com medo. Quem mais sente medo? Como podemos ajudá-la a vencer o medo?”. A empatia na educação infantil é uma grande aliada das relações. Ela possibilita estreitar laços, construir relações de respeito, de confiança e a promover o educar com afeto.

Quando um educador tem um olhar empático para com seus alunos, sua possibilidade de compreensão das situações desafiadoras aumenta, dando a ele recursos mais assertivos nas conduções diárias. Isso porque, ao exercermos uma postura empática, adotando um olhar atento e afetuoso em relação às necessidades das outras pessoas, compreendemos suas motivações, seus medos, seus pontos fortes e fraquezas. Melhoramos assim nossa comunicação, socialização e cooperação.